Projeto 4s

Voltar

No congresso mundial de missões, realizado na cidade Suíça de Lousanne em 1974 ficou compreendido que todos deveriam levar o evangelho para todo mundo e sempre visando “o evangelho todo para o homem todo”. Por entenderem que as necessidades do homem são muito mais do que espirituais, pois elas dizem respeito também ao corpo e a alma. Portanto tal missão deve ser integral.

Devemos levar ao homem a dignidade, o afeto e a oportunidade de vida abundante enquanto aqui na terra e a certeza da esperança quanto ao além. Muitos são os grupos sociais que vivem a mercê das carências básicas da dignidade da vida, como família, lar, trabalho e perspectiva de vida. Ao se pensar nisso, se tem em mente de pronto, alguns dos países que vivem abaixo da linha da miséria como os que se encontram na África, Índia e outros demais lugares. No entanto, em nossa “Jerusalém” poderemos encontrar tais lástimas e realidades.

A Secretaria Estadual do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), em parceria com a Universidade Estadual do Ceará (UECE), divulgou na manhã da terça-feira, 09 de setembro, a pesquisa que revelou a existência de 504 moradores de rua em Fortaleza, sendo nove crianças de zero a 12 anos (1,8%), 67 adolescentes de 13 a 18 anos (13,3%), 352 adultos, a partir de 19 anos (66,5%), dos quais 17 com idade acima de 60 anos (idosos). Somam-se a esses números 11 jovens e 65 adultos com idades não reveladas. Do total, 84,7% são do sexo masculino e 15,7% do sexo feminino.

Apesar do número, a pesquisa identificou que trata-se de um público com população móvel e heterogênea. Do total de pessoas que moram nas ruas, 16,1% são itinerantes, sem referência por bairros, 23% vem do interior e 12,5% de outros estados. O levantamento foi feito em seis rotas, abrangendo 70 bairros da capital, onde foram aplicados 504 questionários e realizadas mais de 30 entrevistas complementares. A maior concentração foi registrada no centro da cidade e no litoral, no trecho entre o Porto da Draga (praia de Iracema) e o Mucuripe (Beira-mar).

A pesquisa anotou ainda, que 58,5% dos entrevistados são pardos, 7,3% são negros e 49,6% são católicos. O nível de escolaridade mostrou que 45% têm ensino fundamental incompleto, 5,36% sabem ler e escrever, 13,3% são analfabetos e 2,8% tem ensino médio completo e 0,2%, já frequentaram a universidade. Do total, 18,% tem rendimentos mensais abaixo de R$ 100,00, 12,9% de R$ 201,00 a R$ 300,00 e 2,4%, em torno de um salário mínimo e alguns de até mil Reais, apesar da maioria não saber avaliar quanto de fato ganha, nem o que faz com dinheiro. Os pesquisadores perceberam que nenhum dos moradores entrevistados usam armas, mas que defendem com afinco os espaços que ocupam. Em geral dormem embaixo de marquises, de paradas de ônibus e usam papelão como cobertores.

 IMG_0945

Diante de tais realidades e conscientes de nossa responsabilidade quanto igreja, foi que o ministério de missões da AD Cidade, pela graça de Deus fez nascer o projeto: “Sopa, sabão, saúde e salvação” (4Ss). O projeto “4 Ss” é uma ação da missão urbana que se apresenta com um caráter de evangelismo noturno visando o alcance dos moradores de rua em nossa cidade e dando-lhes a oportunidade de conhecer o evangelho integral. O grupo é formado por dezenas de membros da AD Cidade entre médicos, enfermeiros, cabeleireiros, assistente social, pedagogos, missionários e profissionais liberais que entendem-se vocacionados por Deus para levar o evangelho aos que esperam.

IMG_0939

A primeira edição do projeto ocorreu no dia 18 de março às 22h na Praça do Ferreira, ocasião onde mais de 100 moradores de rua receberam atendimento médico, corte de cabelo, alimentação e ouviram a palavra do Senhor que lhes trouxe alegria e esperança, como confirmou o morador de rua António Demetrio: “que bom que vocês vieram fazer isso com agente, nós nunca havíamos visto um trabalho tão grande e tão organizado (…) já cortei meu cabelo, já foi atendido pelo médico, já me alimentei e o pastor já orou por mim”.

A realização dessa ação evangelística fora relevante não apenas para eles, que receberam esses atendimentos, mas também para cada um de nós que compomos o grupo. Foi ouvindo as histórias desses homens e mulheres que percebemos que muitos deles estão ali por um ato de injustiça, outros porque fizeram escolhas erradas e muitos porque nunca tiveram uma oportunidade de viverem uma vida mais digna. No entanto, cremos no poder do evangelho que é poder de Deus para resgatar o homem e dá-lhe nova direção na vida. Amado irmão, una-se a nós com vossas orações, mobilize sua igreja e vamos dar ao homem todo a oportunidade de ouvir o evangelho todo.

AD Cidade - Todos os direitos reservados @ 2018 - Site desenvolvido por Leme Digital