Igreja que se doa

Voltar

[Site] Igreja que se doa-01

Estava nu, e me vestistes; estava enfermo, e me visitastes; estava preso, e fostes ver-me. – Mt 25.36

Estava doente e vocês deram-me assistência!
A marca e o ano do automóvel que você dirigia certamente não vão estar arrolados nos arquivos celestiais. É possível que nos registros divinos possam estar relacionadas “quantas pessoas necessitadas de ajuda” você transportou.

Estive enfermo e vocês cuidaram de mim!
Deus não perguntará em que bairro você morou. Ele pode apresentar-lhe o resultado do tratamento dado por você aos seus vizinhos!

“Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão;” – 1Co 3.12-14

Excessos estão previstos para os próximos dias, decorrentes da desenfreada “festa da carne.”

Estatisticamente há uma projeção de muitos internamentos hospitalares. Nos bancos de sangue atravessa-se uma época de baixíssimos estoques. E alguém “severamente religioso” pode perguntar: como preocupar-se em socorrer pessoas oriundas do desatino, da volúpia e do descontrole da bebida, do sexo e da ilicitude? E qual a procedência da mulher, de onde vinha a mulher que Jesus não condenou? Antes de perdoá-la formalmente  ELE já era o seu “Porto Seguro”.

Desprovido de qualquer preconceito contra a mulher incriminada de ter sido flagrada em um erro imperdoável para os seus acusadores, em primeiro lugar Jesus a livra da morte para em seguida perdoar-lhes os pecados.  Vai, pode ir, vai e não peques mais. (Jo 8)

Quem sabe aqueles corpos arquejantes, dilacerados, envolvidos pelo acre odor da transpiração própria dos alcoolizados e drogados fatalmente já aguardados pelas estatísticas, quem sabe aqueles corpos encerram almas que aguardam ansiosas o “socorro” e o “perdão” de Jesus?

Estive enfermo e vocês cuidaram de mim!
Esta lição de cuidado Ele nos deu com suas ações e seus ensinos. Na parábola do “Bom Samaritano” (Lc 10.25-37) vemos que religiosidade não significa, automaticamente, bondade; também aprendemos que “nosso próximo” pode ser alguém fora do nosso grupo, raça ou religião.

Domingo, 18 de janeiro, de 8h às 14h, a igreja AD Cidade mais uma vez dispôs-se a “sair das quatro paredes”, desta feita com destino ao HEMOCE, situado na sua dependência motorizada.

Juntas para doar vida, setenta e quatro pessoas prontificaram-se a doar sangue. Entre os envolvidos no trabalho de coleta, controle e doação, quase uma centena de pessoas não passaram de largo.

O escritor cristão Kevin De Young, diz: “Quando você ouvir os pássaros cantando, eles estão cantando uma canção para lembrá-lo da provisão de Deus. Deus cuida dos pequenos animais; Ele cuidará de você.”

Já é Deus cuidando daquele corpo arquejante hospitalizado, é Deus cuidando “daquele homem que descia de Jerusalém para Jericó e veio a cair em mãos de salteadores, os quais depois de tudo lhe roubarem e lhe causarem muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o semimorto.” (Lc 10.30)

É Deus levantando a Igreja para o serviço, como  “o samaritano, que seguia o seu caminho, passou-lhe perto e, vendo-o, compadeceu-se dele.” (Lc 10.33) Certamente que amor é ação!
Outras oportunidades surgirão em que seremos desafiados a amarmos mais. ASSIM COMO SEU NOIVO, A IGREJA TAMBÉM É DOADORA.

Certamente juntos ultrapassaremos as doações deste domingo, PORQUE JUNTOS SOMOS MELHORES.

Ev. João Batista

AD Cidade - Todos os direitos reservados @ 2018 - Site desenvolvido por Leme Digital