A matança dos inocentes

Voltar

[Aconteceu] A matança dos inocente-01

 

Mt 2.18 – ” Em Ramá se ouviu uma voz, lamentação, choro e grande pranto; era Raquel chorando os seus filhos e não querendo ser consolada, porque já não existiam”.

Choro inconsolável produz lágrimas!
Apego irracional ao poder provoca violência e frieza no uso criminoso da espada.
Ceifam-se vidas, geram-se lágrimas!
É a covardia de Herodes buscando exterminar a esperança de Raquel.
Herodes contemporâneos ainda embrulham  seus ambiciosos projetos pessoais , na covardia da agressão aos inocentes.
Herodes que desviam das crianças a educação digna!
É Raquel atarantada diante da porta escolar fechada para o filho, pela “pátria” que escarnece com o slogan “educadora”.
Herodes  que retiram das crianças a educação digna de uma nação rica em potencial!
Nação do tamanho de um grande continente! Idioma único, que seria um facilitador não fosse “babel”,  um projeto de homens desafiadores em edificar torre para si e em tornar célebres seus nomes, não importando quantos inocentes são sacrificados por esta causa.
É Raquel com suas lágrimas nas cores verde e amarela pelo desvio de verbas que não chegam  ao “posto desejado”, e então os enxames das pequenas moscas, terríveis mosquitos, arruinam a terra com epidemias, as mais diversas.
Herodes magnos, Herodes grandes, alarmam-se com a notícia da chegada do verdadeiro rei!
Poderosos também amedrontam-se!
O medo da perda fazem-nos  aguçar toda a astúcia.
Pretendem obter preciosas informações a respeito do Príncipe da Paz sugerindo, de modo farsante, irem adorá-lo.
Herodes grandes, magnos Herodes, inebriados pela fumaça da fama, narcotizados pelo poder em pó, não cogitam serem passivos de queda.
Ramá está em polvorosa e há os que se resguardam! Ainda há os que oram.
Por divina advertência muitos são prevenidos a tomarem outros rumos!
Os Herodes se enfurecem quando outros caminhos, caminhos que não atendem suas conveniências, são seguidos.
Há as marias, há os josés que anonimamente seguem com o Maravilhoso e que sabem que mais do que guardando-O, estão sendo  por Ele guardados!
Raquel chora a ganância herodiana que desempregou sua casa!
Herodes tentam matar a pureza das crianças, retiradas dos cuidados de Raquel,  pois seus braços buscam “cavacos” para cozer,  quem sabe, o último bolo. As inocentes crias são expostas às propostas  das cartilhas da imoralidade destruidora dos bons costumes, desferindo contra a infância o atentado ao pudor.
A causa de tanta insanidade é a falta de acolhimento ao Deus Forte.
É chegada a notícia de que os que tentavam  contra a vida do menino já morreram!
Não nos envergonhamos deste evangelho! Ele é eficaz para nos conduzir ao céu, ele é relevante para as necessidades e problemas que enfrentamos nos dias atuais.

 

AD Cidade - Todos os direitos reservados @ 2018 - Site desenvolvido por Leme Digital